Lisboa

O MUSEU NACIONAL DE ETNOLOGIA é indissociável da história da antropologia portuguesa. Nele se vem a projetar uma dimensão fundamental do trabalho dos pioneiros desta disciplina no país. A partir do Centro de Estudos de Etnologia, que dirige desde 1947, Jorge Dias e aqueles que o irão acompanhar nos anos subsequentes, Margot Dias, Ernesto Veiga de Oliveira, Fernando Galhano e Benjamim Pereira, entre outros, iniciam uma pesquisa extensiva e continuada sobre os elementos da cultura material que, anos mais tarde, viriam a ser igualmente recolhidos para constituir as coleções do museu.

O trajeto daquele antropólogo vai conduzi-lo e a Margot Dias ao norte de Moçambique onde, em sucessivos períodos de trabalho de campo, com início em 1957, vão construir uma sólida etnografia sobre o povo Maconde. O resultado parcial daquela investigação será objeto de uma exposição realizada em Lisboa em 1959 e é neste contexto que surge a intenção explícita da criação de um Museu de Etnologia. Em 1965 o museu é criado com o ambicioso programa de representar as culturas dos povos do globo não se restringindo, pois, nem a Portugal nem aos domínios ultramarinos sob a sua administração.

Embora tenha sido criado como instituição em 1965, o edifício onde o museu se encontra foi inaugurado em 1976. Desenhado pelo arquiteto António Saragga Seabra, este permitiu dar expressão ao programa museológico de carácter universalista definido por Jorge Dias e seus colaboradores, valorizando o lugar determinante da investigação antropológica. Em 2000, sob proposta do diretor Joaquim Pais de Brito, o arquiteto Eduardo Trigo de Sousa dá forma ao projeto de ampliação do edifício, criando-se um novo espaço de biblioteca/mediateca, duas novas áreas de reserva e o jardim envolvente.

LOCALIZAÇÃO
Avenida da Ilha da Madeira |  1400-5203 Lisboa  

HORÁRIO
. Terça-feira | 14h00 – 18h00
. Quarta-feira a domingo | 10h00 – 18h00
. Encerra à segunda-feira

CONTACTOS
T. +351 213 041 160 | E. geral@mnetnologia.dgpc.pt