Lisboa

Entrar na LIVRARIA BERTRAND do Chiado e percorrer as suas sete salas é percorrer uma parte da História e da literatura portuguesas.

Reconhecida pelo Guinness World Records em 2011 como a livraria mais antiga do mundo em funcionamento, a Bertrand do Chiado faz jus ao mote “a antiguidade é um posto”, pois efetivamente já vende livros desde 1732.

“O fim é o princípio” – assim começa o Manifesto Bertrand e é também desta forma que se pode iniciar a expedição pela Bertrand do Chiado: entrando pela porta principal na Rua Garrett ou pela porta do Café Bertrand, inaugurado em Maio de 2017, na Rua da Anchieta.

Se a opção for pela porta principal, a primeira sala é a de Aquilino Ribeiro. À direita, junto à estante que dá destaque à sua obra, encontra-se o “Cantinho do Aquilino”, lugar que em tempos foi onde o escritor se recolhia em leituras e pensamentos.

A Bertrand do Chiado é uma livraria peculiar, pois além de ser uma loja de livros, é um espaço onde é possível fazer uma expedição pelas várias salas e pelos autores que as apadrinham.

Para além de Aquilino segue-se José Saramago, Eça de Queiroz, Almada Negreiros, Alexandre Herculano e Sophia de Mello Breyner, todos eles com um espaço que lhes é dedicado: uma estante, onde se lhes destaca a obra e uma placa onde se lhes conta a história.

Se, por outro lado, a opção for pela porta do Café Bertrand, deparamo-nos com um grande mural, de Tamara Alves, com o poeta Fernando Pessoa, autor que dá nome à sétima e última sala, outrora armazém.
Eis um espaço que vem acentuar a fusão entre história e modernidade, permitindo que os clientes juntem sabores às suas leituras.
O Café convida os mais ou menos curiosos a “provar os livros”, numa homenagem a estes objetos que são detentores do saber culinário e gastronómico. É com receitas da cozinha portuguesa e internacional que se servem os clientes das 9h00 às 22h00, no mesmo horário da livraria.

O corredor, elo de ligação entre cada uma das salas e também ele peculiar, é considerado um livro aberto da história da livraria, pois está decorado com alguns quadros que vão contando um pouco da vida da Bertrand.
Nele, é possível encontrar, por exemplo, um excerto de uma carta de Almeida Garrett, in Relações de Garrett com os Bertrand – Cartas Inéditas: 1834 – 1853, elogiando o trabalho dos irmãos Bertrand.

Percorrer este corredor com atenção é explorar o espaço e o tempo; é encontrar em cada esquina e em cada sala, livros e autores, mas também pedaços de Lisboa e do país. Talvez por isso, a Bertrand receba a visita tanto dos portugueses como dos estrangeiros.

O segredo da riqueza histórica desta livraria está na capacidade de permanência ao longo tempo: não se limitando apenas à venda de livros, acolheu também figuras ilustres da História, do pensamento e da literatura portuguesas. Vivenciou acontecimentos como o terramoto, uma guerra civil, um regicídio, a implantação da República, a unificação da Europa, entre tantos outros.

Frequentada por vultos da literatura portuguesa, como Bocage, José Agostinho Macedo ou Curvo Semedo, também foi lugar de tertúlias literárias por escritores da Geração de 70, como por exemplo, Alexandre Herculano, Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão.

LOCALIZAÇÃO
Rua Garrett, 73-75  |  1200-203 Lisboa  

HORÁRIO
Aberto todos os dias | 9h00 – 22h00

INFORMAÇÕES
T. +351 210 305 590