Lisboa

Inaugurada a 19 de novembro de 1905, no Chiado, num espaço que antes foi uma camisaria, A BRASILEIRA foi criada por Adriano Telles, um ex-emigrante português no Brasil, que ali casou com a filha de um dos maiores produtores de café da região de Minas Gerais. Regressado a Portugal, iniciou a venda do café, uma bebida até então desconhecida e pouco apreciada pelo gosto amargo que o caracterizava. Atento às questões que impedissem os seus clientes de apreciar o café do Brasil, implementou a ideia de criar um estabelecimento que permitisse provar a qualidade do produto, distribuindo-o gratuitamente, à chávena, como forma de divulgação.

A decoração faustosa do interior fez d’A Brasileira um espaço onde se reuniam os ilustres da época: advogados, médicos, professores, escritores e artistas. Aqui se reuniram também revolucionários que participaram na instauração da república, em 1910.

Com a liberdade conseguida no período pós-implantação da república, e pela sua localização privilegiada, A Brasileira do Chiado tornou-se um dos cafés mais concorridos de Lisboa na época e foi o cenário de inúmeras tertúlias intelectuais, artísticas e literárias. Escritores e artistas de renome como Fernando Pessoa ou Almada Negreiros encontravam n’A Brasileira do Chiado a inspiração para conceitos e ideias paradoxais.

A assiduidade de Fernando Pessoa motivou a inauguração, nos anos 1980, da estátua em bronze da autoria de Lagoa Henriques, que representa o escritor sentado à mesa na esplanada do café. Com toda a importância que teve na vida cultural do país, mantém hoje intacta a sua identidade, quer pela especificidade da sua decoração, quer pela simbologia que representa por se encontrar ligada a círculos de intelectuais.

Da autoria do arquiteto Manuel Norte Júnior, um dos mais notáveis arquitetos da sua geração e vencedor de cinco Prémios Valmor e Municipal de Arquitetura e duas menções honrosas, o projeto da fachada, luxuoso e ao estilo parisiense, tornou-se uma imagem de marca d’A Brasileira. Classificada, desde 1997, como imóvel de interesse público, é hoje um dos mais antigos e um dos três únicos cafés de Lisboa que atravessaram todo o século XX e se mantêm abertos. Em 2017, a Câmara Municipal de Lisboa distinguiu a Brasileira com o galardão «Lojas com História», atribuída em função do interesse cumulativo da sua atividade, bem como da existência e preservação de elementos patrimoniais materiais, culturais e históricos.

A Brasileira do Chiado é, desde sempre, um espaço verdadeiramente icónico da cidade de Lisboa, granjeando o seu posto de destaque entre os locais mais emblemáticos do Chiado, como um dos mais visitados e fotografados de toda a cidade.

LOCALIZAÇÃO
Rua Garrett, 122  |  1200-205 Lisboa  

HORÁRIO
Aberto todos os dias | 8h00 – 24h00

TIPO DE COZINHA
Portuguesa | Europeia

MENU IMPERDÍVEL
 Pataniscas de Bacalhau e Maionese de Lima
 Pica-Pau de Lombo
 Gambas ao Alho e Coentros
 Croquete d’A Brasileira com Molho de Mostarda
 Bacalhau Confitado com Crocante de Broa de Milho
 Filete de Robalo
 Linguini Nero com Camarão
 Costeletas de Borrego DOP
 Lagartinhos de Porco Preto com Migas de Espargos
 Bife à Brasileira com Molho à Café
 Rabanada com Queijo Serra da Estrela DOP

PREÇO MÉDIO
18 €

COMODIDADES
. Esplanada
. Pratos vegetarianos

CONTACTOS
T. +351 213 469 541 | E. geral@abrasileira.pt